segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Carta

CARTA 71: AGOSTINHO A JERÔNIMO (ANO 403)


No ano de 403, Santo Agostinho escreve uma carta a São Jerônimo, pedindo explicações sobre uma tradução que este fez do Livro de Jó. Interessa a abertura da carta e a impressão que as palavras do primeiro causam no segundo.

Agostinho escreve assim:

“Desde que comecei a te escrever e a sentir a falta dos teus escritos, nunca se me apresentou melhor ocasião de comércio epistolar que agora, que um servo de Deus, ministro fidelíssimo e caríssimo para mim, vai levar para ti minha carta. Trata-se do diácono Cipriano. Por ele, espero a tua missiva com tal segurança que não cabe maior nesta linhagem de relações. Isso porque não faltará ao nosso mencionado filho
[
Nec studium in petendis [rescriptis]
nem solicitude para pedir
a resposta
Nec gratia in promerendis
nem graça para merecê-la
Nec diligentia in custodiendis
nem diligência para custodiá-la
Nec alacritas in perferendis
nem agilidade para trazê-la
Nec fide in reddendis
nem fidelidade para entregá-la

]
Ele continua:

“Te enviei duas cartas e não recebi nenhuma tua. Decidi, pois, enviá-las de novo, acreditando que não tenham chegado. Se chegaram, e talvez sejam mais as tuas que não chegaram a mim, manda-me de novo os escritos que me enviaste, se por ventura os tem em reserva”.

Enviei uma carta pelo irmão Profuturo. Não pode levá-la, porque enquanto se preparava para partir foi proclamado Bispo e morreu pouco tempo depois”. 





[Aguarde a resposta de São Jerônimo...]

Nenhum comentário: