sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Agostinho novamente...

Outra particularidade da Carta 71, como mencionado, diz respeito a algumas observações que Agostinho faz de uma tradução de São Jerônimo do Livro de Jó. Ele diz o seguinte:

“Soube que havias traduzido do hebraico o livro de Jó, quando já tínhamos outra tradução tua do mesmo profeta, vertida do grego ao latim. Nesta, tinhas anotado com asteriscos as frases que haviam no hebraico e faltavam no grego. E com obeliscos, as que se encontravam no grego e faltavam no original hebraico.

"Era tão meticulosa a tua diligência que em alguns lugares há uma estrelinha em cada palavra, para indicar que tais palavras são em hebraico, mas não em grego.

“Por outro lado, na tua segunda tradução, vertida do hebraico, não se vê a mesma fidelidade nas palavras. Isto atrapalha não pouco ao que reflete: na primeira se colocam os asteriscos com a mais escrupulosa pontualidade para indicar até as mínimas partes da oração que faltavam nos códices gregos e se encontravam nos hebraicos; ao contrário, na segunda, direta do hebraico, há uma negligência na indicação de tais sinais.


“Não obstante, posto que teu talento é extraordinário, opino que entenderás de sobra não só o que digo como também o que quero dizer. Assim, tu explicarás o que me causa estranheza, expondo o motivo".

Nenhum comentário: