quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Bíblia: textos selvagens

É importante lembrar que a Bíblia não nasceu como fonte de doutrina, mas como textos meio selvagens que vão sendo domesticados pela nossa leitura. Isso nos permitirá abordar esta obra sem um olhar estritamente teológico mas com a atenção voltada para uma análise literária. Pensamos que esta forma de ler a Bíblia possibilitará não poucas aproximações relevantes aos diversos estudos culturais por se tratar de uma janela que proporá o diálogo, a interdisciplinaridade e o peculiar interesse dos leitores e leitoras em textos que recebem novas luzes ao serem abordados com ferramentas seculares de interpretação. Faz-se necessário, ainda, acenar para o fato de que a Bíblia constantemente se relê, se re-interpreta e se recoloca nos diversos cenários sócio-culturais que lhe são comuns. Isso denota uma tradição que legitima, dialoga e re-aproveita textos e temas ao longo das duas grandes partes da Bíblia, isto é, Primeiro e Segundo Testamentos.

Um comentário:

Cammy G. disse...

Cheguei a compartilhar do Facebook esse teu post. Que visão lúcida da Bíblia!
Abraços, amigo! Dê notícias! ;]