sexta-feira, 29 de julho de 2016

A gênese do Novo Testamento - parte III


2. Os manuscritos e as versões

É importante que se tenha clareza, como dito na introdução, dos problemas pelos quais passaram os textos ao longo de sua história. Sendo assim, aqui é o lugar de se colocar as principais testemunhas dos textos originais para a apreciação. É bom avisar, no entanto, que dado ao imenso número de manuscritos, vou elencar apenas aqueles mais importantes e que nos ajudam a vislumbrar o alcance do problema.

3. Os códices

1) manuscritos MAIÚSCULOS: são também chamados de UNCIAIS. Escritos em letra maiúscula. Foi substituída pela minúscula por volta do séc. IX. A partir do séc. XII, o pergaminho foi substituído pelo papel. Por causa de sua antiguidade, são as fontes mais importantes para o estudo do texto do NT. Estão escritos em pergaminhos e vão do séc. III ao XI. Atualmente somam ca. de 266. A título de curiosidade, podemos observar o seguinte: para os pergaminhos era mais comum a forma de códice: vários fascículos superpostos. Cada fascículo constava normalmente de 4 folhas (quatêrnio), donde “caderno”. Cada qual era dobrado ao meio: diploma (coisa dobrada). Cada fascículo era, então, um caderno de 4 folhas e 8 páginas frente e verso.

2) MINÚSCULOS: do séc. IX até a imprensa. São escritos em caracteres cursivos minúsculos. São ca. de 2792. São menos antigos, portanto, que os Unciais, mas é bom que se considere o seguinte: “o elemento determinante do valor das leituras de um manuscrito não está na antiguidade do manuscrito, mas na qualidade do arquétipo utilizado para a cópia do mesmo” .

4. Os papiros

São em torno de 88 e continuam “aumentando”. Representam cerca de 40% do texto do NT. Datam dos séc. II ao VIII. A maioria da metade do séc. III e IV. São anteriores aos unciais e todos descobertos no Egito. Depois da análise interna, concluiu-se que os Unciais precisam ser corrigidos por estes manuscritos.

5. Lecionários

São cerca de 2193 manuscritos catalogados como lecionários. Exceto o Apocalipse, testemunham recortes de todos os textos do NT. Não são anteriores ao séc. IX. São recortes de textos “bíblicos” para a liturgia como os modernos.


Para ler:

BARRERA, Julio Trebole. A Bíblia Judaica e a Bíblia Cristã. Petrópolis: Vozes, 1995.
MANNUCCI, Valerio. Bíblia, Palavra de Deus. São Paulo: Paulinas, 1986.

Nenhum comentário: