quarta-feira, 20 de julho de 2016

A Gênese do Novo Testamento: a história dos textos e tradições



Muitos não sabem do movimento evolutivo dos textos do Novo Testamento para chegarem até nós. É por isso que, não raro, os textos que temos hoje são considerados como se existissem assim desde o princípio. Longe de pretender esgotar o tema, estas postagens serão apenas começo de conversa.

A modo de Introdução

Inicialmente, é preciso considerar o seguinte: quando se fala do texto grego do NT não se pode pensar num texto único, depurado e livre de qualquer erro ou dúvida. O caráter de inspiração não isenta o texto das dificuldades e dos percalços históricos (como a perda dos autógrafos e os equívocos nas versões). Disso se depreende que nem sempre foi fácil optar por essa ou aquela lição quando se vai traduzir. Sendo assim, justifica-se aqui, o trabalho da chamada crítica textual.

Atualmente, tem-se cerca de 5 mil manuscritos gregos do NT. De tudo isso, mais de 10 mil manuscritos e versões distintas. Tudo isso sem contar as milhares de citações dos santos padres. Assim, tem-se três espécies de testemunhos: citações feitas pelos padres, versões antigas, códices. Deste total, temos, entre 150 e 250 mil variantes textuais. Deve-se considerar, no entanto, que o estado de conservação dos textos do NT é até superior ao de muitos clássicos (p. ex. Tragédias de Ésquilo). A maior parte das variantes são de ortografia e de gramática. São até escassas aquelas que afetam o significado do texto, embora existam.

Continua...

2 comentários:

Lisa disse...

Obrigada pela visita...É sempre uma alegria retribuir as visitas...
Me pergunto o que será que vou encontrar ao olhar para a foto do perfil.
Fiquei feliz de encontrar motivos para ficar um pouco mais.

Abs
Lisa

Rui Pedro disse...

Descobri hoje o seu blog, e o respectivo site. Muito obrigado pelo esforço de divulgação e informação que está a fazer. Continuarei a frequentar.

Um abraço fraterno