quarta-feira, 9 de março de 2016

O Evangelho de São Mateus

Podemos chamar Mateus de um “intérprete criativo”, como sugere Cuvillier (2012, p.94). Ele é extremamente fiel às tradições recebidas ao mesmo tempo em que tem grande liberdade para trabalhá-las. Pode-se dizer que ele cria uma ficção histórica. Isso pode ser verificado quando se compara seu texto com a tradição recebida de Marcos e quando se compara sua obra com as histórias do Antigo Testamento. 

Alguns exemplos: 

Em relação a Marcos: 

 • Mc concentra a fé cristã na cruz (sem didática precisa, cf. 8,34). Mt reinscreve a teologia da cruz no contexto do ensinamento de Jesus (didaticamente no seu ministério); 

• Para Mt, não se pode entender a cruz fora da prática de Jesus e nem fora do seu ensinamento.

 • Agrupa relatos os relatos de milagres em 8-9, onde Marcos situa em momentos diferentes. Isso tem orientações teológicas particulares e um contexto de comunicação específico.

Nenhum comentário: