quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

17 de Dezembro


Todas as vezes que ultrapasso a fronteira dos dezessete dias de dezembro, tenho vontade de escrever. Sinto que um crepúsculo amarelo começa a se insinuar sobre os telhados de nossas vidas. Pode ser só impressão, mas pode ser também que exista algo de forte no interior do coração que desperta este sentimento.

Todas as vezes que ultrapasso a fronteira dos dezessete dias de dezembro, tenho a sensação de que agora que me tornei adulto existem mais natais do que quando era criança. Lá, de um Natal para o outro era uma eternidade. Mas hoje, as promoções das lojas já começam em Agosto e gordos papais noeis já escalam as janelas dos edifícios desde outubro.

Todas as vezes que ultrapasso a fronteira dos dezessete dias de dezembro, tenho vontade de escrever cartões de natal à mão, como fazia anos atrás. Enviá-los para todos os meus amigos e amigas, os de perto e os de longe. Mas a maldita correria de todo dia me faz arquivar o projeto e covardemente me rendo a isso. Assim, quando dou por mim já é 25 de Dezembro.

Todas as vezes que ultrapasso a fronteira dos dezessete dias de dezembro, tenho vontade de voltar a ser criança...

Nenhum comentário: