segunda-feira, 20 de julho de 2015

Gêneros literários nos livros dos Profetas

Estão presentes em grande quantidade na literatura profética e não se pode dizer que a pesquisa é plenamente de acordo em sua classificação. Na Bíblia, estes gêneros estão intimamente ligados ao comum da vida, à esfera do familiar, cultual, sapiencial, judicial, tribal, etc. Tem-se alguns exemplos como a alegoria (Ez 17,1-9), comparação (Jr 17,11), bênção e maldição (Jr 17, 5-8). São gêneros comuns na literatura sapiencial, fazendo com que estas duas vertentes se aproximem significativamente. No que se refere ao culto, é comum encontrar, nos profetas, hinos: Is 12; Am 4,13; 5,8-9; 9,5-6. No mesmo âmbito cultual encontram-se as orações: Jr 32,16-25.

Do cotidiano, muitos gêneros são usados na literatura profética. Deste meio são os cânticos que falam de amor, morte (por ex. Ez 21,13-21 – hino à espada); um canto de lamentação conciso e antigo (Am 5,2-3); próximos a esses são os “ais”, que constituem gênero à parte indicando a iminência de morte sobre quem é pronunciado (Is 5,8.11.18.20-22). Os gêneros apresentados até então não são exclusivos da profecia. Contudo, alguns parecem ser bastante peculiares a esta literatura: em primeiro lugar, o oráculo.

Este é um gênero bem determinado, solenemente proclamado pelo profeta em nome de Deus. Ainda não se pode dizer que seja estritamente profético já que os sacerdotes o usavam. É indicado quase infalivelmente por fórmulas de introdução (Assim diz o Senhor) e de conclusão (Oráculo de YHWH). Ex: Am 1,3.5.6.8.9.11.13.15;2,1.3.4.6.11.16.

Nenhum comentário: