sábado, 1 de novembro de 2014

Estranho

Há uma estranha calma na cidade
minha janela tem faróis
meu coração
escuridões

Há uma estranha leveza no céu
meu norte tem uma lua
minha vida
um eclipse

Há uma estranha alegria nas palavras
meus verbos são passados
meus tremores
presentes

Nenhum comentário: