sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O Profeta Amós


Amós 9,1-4: A dimensão do juízo anunciado nesta visão

O estudo do livro do profeta Amós é fascinante e envolvente. É um livro no qual encontramos uma grande variedade de imagens, estilos e expressões irônicas. Em todo ele observamos uma mensagem forte e vigorosa; marcada pelo anúncio de juízo e condenação. Neste livro, é clara a exaltação do Senhor e a indicação da situação em que se encontram homens e mulheres, pobres e ricos, sacerdotes e reis de Israel. A profecia de Amós é marcadamente exigência de mudança profunda e decisão sincera, bem como apelo à restauração da justiça.

Amós pertence ao conjunto do chamado “livro dos doze”. Aparece, na Bíblia Hebraica, em terceiro lugar, após Oseias e Joel e antes de Obadias. Quando lançamos um olhar sobre o livro, notamos a sua composição atual que é formada por nove capítulos. Dessa formação, há um consenso da pesquisa de que pode ser dividido em três seções. Assim, teríamos a primeira seção que formaria o conjunto dos cc. 1-2; a segunda compreenderia os cc.3-6 e a terceira e última seção seria, por conseguinte, os cc. 7-9.

Apesar de o livro ser bastante breve, isso não significa simplicidade em sua composição. Hoje, segundo Zenger, é grande o ceticismo frente a antigas posições que acreditavam ver palavras autênticas do profeta na maior parte do livro. Daí resulta um problema importante que é o de ser quase impossível reconstruir as palavras do próprio profeta Amós. O que observamos entre os autores é que alguns se mostram muito detalhistas em rejeitar partes mínimas do livro, chegando, com isso, a muitos exageros.

Por outro lado, podemos perceber muita cautela por parte de outros estudiosos. Em alguns casos, muitos desses pesquisadores elaboraram suas listas de partes inautênticas, passando do "talvez" para o dogma.

As visões de Amós, e particularmente a quinta, apontam para o desenvolvimento e condenação da injustiça. Uma injustiça que se alastra, gerando a miséria e a morte, enquanto se erguem cânticos de festa no santuário. A palavra profética procura colocar um termo a essa estrutura de pecado e exploração que, como uma cárie, corrói o povo. Assim, o juízo anunciado na quinta visão reflete bem a intolerância de YHWH diante de tal estrutura, de modo que Ele decreta, de forma irrevogável, o fim dos que a promovem.

Visto somente do ponto de vista da 5a visão, este juízo poderia representar simples capricho divino. É por isso que buscamos suas motivações. A evidência dessa condenação leva à pergunta pelos destinatários da mesma. Parece que estes podem ser encontrados na esfera do culto e da realeza que se contrapõem a Deus. Assim, a visão não indicaria todo o povo, mas os dirigentes do culto e do poder.

Nenhum comentário: