sexta-feira, 19 de abril de 2013

A Ressurreição de Jesus - 4ª Parte

3ª Parte

Comparação dos relatos evangélicos ao redor da Ressurreição

Quando então, pisamos o solo dos Evangelhos, temos a sensação de um certo conforto e de coisas mais arrumadas. Parece que conhecemos mais a casa, estamos familiarizados com os textos, com o “jeitão” dos evangelistas e seu modo de escrever. Isso revela, por um lado, uma tendência a explicarmos tudo de modo muito simplificado e, por outro lado, a não abordarmos certos textos com a atenção que merecem. Isso porque essa arrumação é, de certa maneira, só aparente.

O objetivo agora é, exatamente, pontuar de modo esquemático algumas proximidades e diferenças nos relatos ressaltando nuances e aventurando, timidamente, em esboços exegéticos. Convido vocês a fazerem dois caminhos comigo: o primeiro que vai do túmulo à mensagem e o outro que vai de encontro ao Senhor que aparece. Quanto ao primeiro caminho, faremos isso partindo de 3 enfoques principais:

TÚMULO - MENSAGEIRO (S) - TESTEMUNHA (S)

1. túmulo:

Os quatro evangelhos cercam o túmulo de Jesus:

Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. Mt 28,1

E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol. Mc 16,2

E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro. Lc 24

E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada. Jo 20,1

Este ponto comum aparece muito fortemente nas narrativas com diferenças muito sutis. Para Mateus vão ver (teoreo). Em Mc, para ungir o corpo. Em Lc para levar perfumes. Em Jo, Madalena simplesmente vai ao sepulcro.

2. O modo da mensagem:

Em Mt, aparece o terremoto e o anjo que revolve a pedra. Tem colorido apocalíptico e não podemos entrar em pormenores aqui. Em Mc, Lc e Jo a pedra é encontrada removida. O verbo passivo para a pedra removida indica uma coisa muito interessante: a ação divina no evento. É um elemento discreto na informação dos 3 evangelistas ao passo que em Mateus ela é explícita. Notem que o Anjo no AT, indica o mensageiro de Deus ou Deus mesmo.

É bom reparar que Marcos não fala em Anjo, mas em jovem. Parece haver em sua narrativa uma certo cuidado em evitar expressões muito sobrenaturais. Lc fala de dois homens e Jo menciona dois anjos na aparição à Madalena.

É importante ressaltar que a centralidade do evento parece repousar na palavras de Lucas: “non est hic, sed surrexit”: não está aqui, mas ressuscitou.

Continua...


Nenhum comentário: