segunda-feira, 15 de abril de 2013

A Ressurreição de Jesus - 3ª Parte


Parte 1
2a Parte

Antes de ser desanimador, isso convida a prestarmos atenção na riqueza dos elementos que estão por detrás das narrativas, sejam de Paulo ou dos Evangelhos. Esta realidade convida a uma leitura séria e atenta para que as coisas não sejam tratadas como se fossem um mero concordismo. Isso levou e leva a muitos a “matarem” o colorido especial dos enunciados que vem surgindo dos textos e a sufocar essas sementes sem deixar que elas brotem. Numa reflexão teológica, o convite é para que tomemos alguma distância a fim de vermos melhor o que emerge deste emaranhado bonito dos primeiros anúncios da fé cristã.

Uma primeira conclusão seria entendermos que estes textos tem características e objetivos que vão desde o aspecto redacional, passando pelo teológico até o catequético.

Embora não queiramos fincar nossas bases na teologia paulina, é necessário apresentar, aqui, um dos textos de conteúdo “mais antigo” sobre a fé na Ressurreição do Senhor: a primeira Carta aos Coríntios que pode estar situada a partir de 55 dC.:

1Cor 15,3-8.

Transmiti-vos, em primeiro lugar, aquilo que eu mesmo recebi: Cristo morreu por nossos pecados, segundo as escrituras. Foi sepultado, ressuscitou ao terceiro dia, segundo as escrituras. Apareceu a Cefas, e depois aos doze. Em seguida, apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma vez, a maioria dos quais ainda vive, enquanto alguns já adormeceram. Posteriormente, apareceu a Tiago, e, depois, a todos os apóstolos. Em último lugar, apareceu também a mim como a um abortivo. (Bíblia de Jerusalém: 2002)

Este texto é fundamental como introdução ao tema e voltaremos a ele oportunamente. Basta, por ora, considerar o seguinte:

- Transmiti-vos, em primeiro lugar, aquilo que eu mesmo recebi;
- Cristo morreu;
- foi sepultado;
- ressuscitou;
- apareceu;

Continua...

Nenhum comentário: