quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Tamar (Gn 38)

Tamar é nora de Judá, o quarto filho de Jacó com Lia. Ele a escolheu para se casar com Her, seu filho primogênito. Tamar, contudo, fica viúva de Her, mas o texto é estranhamente sucinto para dar uma razão plausível a essa viuvez – limita-se a informar que Her desagradou a Deus, que o fez morrer (Gn 38,7). Sendo assim, quem deveria assumi-la seria, por tradição, seu cunhado Onan. Este, porém, não se interessa em cumprir sua obrigação legal e, quando mantinha relações sexuais com ela, praticava o chamado coitus interruptus (Gn 38,9).

A morte de Onan é referida da mesma forma que a de Her (v.10). O terceiro irmão, Selah, é prometido por Judá a Tamar, mas Judá não mantém sua promessa. É diante dessa situação que Tamar arquiteta um plano para obter um filho de Judá, seu sogro, e, desse modo, garantir a sua genealogia. Isso torna o relato bastante singular na Bíblia, inaugurando uma das mais surpreendentes estratégias de sobrevivência elaborada por uma mulher.

Nenhum comentário: