domingo, 27 de março de 2011

O Profeta Isaías



Há um largo consenso na pesquisa sobre o fato de que o livro atribuído ao profeta não é, na sua maior parte, trabalho do mesmo. Em 1783, J.G. Eichhorn descobriu que Is 40-52 não poderia provir do Isaías de 1-39. O judeu Iben Esra já tinha observado isso séculos antes. Em 1892, em seu comentário de Isaías, B. Duhn concluiu que 40-66 não vem do grande profeta. Alguns elementos no livro ajudam a observar este longo processo redacional. Para tanto, a descoberta dos estudiosos é tida como segura e, por isso, pode-se dividir o livro da seguinte forma, segundo a pesquisa de Duhn: 1-39, primeiro ou proto Isaías; 40-55, segundo ou dêutero Isaías; 55-66, terceiro ou trito Isaías.


Quais as indicações que justificam tal divisão? 1. Em 1-39, o inimigo de Israel/Judá é o império assírio (7,20; 8,4; 10,24 30,31). 2. 40-52, o inimigo é a potência babilônica, além de que estes capítulos pressupõem o exílio. 3. 56-66 não possuem unidade e pertence a um período posterior ao exílio. Nota-se, assim, uma composição que perpassa uns 200 anos. Para Severino Croatto há um tempo próprio do Isaías histórico, outro do profeta que anuncia a libertação do cativeiro (40,3-4; 44,28; 45,1) e um terceiro tempo posterior, da época persa (538-332). Veja-se:

Este não é um fenômeno particular da profecia isaiana, ao contrário, nenhum livro profético (ou quase nenhum livro bíblico) é um todo homogêneo. Não significa, também, que estas divisões maiores não apresentem dificuldades em seu interior. Com as informações, não se pretende ler o texto com esta divisão na mente – pois isso geraria confusão – mas apenas mostrar vozes distintas se exprimindo no interior do livro.

É bom ler:

CROATO, José Severino. Composição e querigma do livro de Isaías. Revista de Interpretação Bíblica Latino-Americana, n.35/36, p. 42-76, 2000.

GRADL, Felix; STENDEBACH, Franz Josef. Israel e seu Deus: Guia de Leitura para o Antigo Testamento. São Paulo: Loyola, 2001.


Um comentário:

jc disse...

ISAÍAS ERA UM HOMEM DE FAMILIA NOBRE, CARATER MESSIÂNICO.
ISAÍAS CRITICA AS ALIANÇAS E PROFETIZA A VINDA DO SALVADOR?
ISAÍAS LAMENTA PELO EXÍLIO DO SEU POVO NA BABILÔNIA
ISAÍAS DEPOIS CONSOLA O POVO QUE RETORNA À ISRAEL.

PARECE-ME QUE HÁ UMA CONGRUÊNCIA DE SENTIMENTOS DE UMA MESMA PESSOA.

OU TERIA PAULO DE TARSO SIDO ENGANADO POR UMA ALUCINAÇÃO NO DESERTO?

SERÁ QUE ESSE HOMEM QUE ERA QUESTIONADOR, SEGUIDOR DE LEIS RÍGIDAS, QUE DOMINAVA O GRECO CLÁSSICO, QUE FORA LEVADO AO AERÓPAGO PARA FALAR COM FILÓSOFOS INTELIGENTÍSSIMOS E QUESTIONADORES AO EXTREMO; SERÁ QUE PAULO SE ENGANOU.

TERIA ENTÃO, RAZÃO, OS SADUCEUS A RESPEITO DA IMORTALIDADE?

ME CONSOLO COM SÓCRATES.
" TUDO QUE SEI, É QUE NADA SEI"