domingo, 24 de agosto de 2008

Visitai, Senhor, a vossa vinha. Protege o que tua direita plantou! (Sl 80)

Ora, mas que dificuldade! Que dias tão escuros que não se vêem os próprios olhos? Que abandono tão bom e que presença tão distante! Se nos abandonasse a vida em que agarraríamos? Nossos caules estão quase secos e nossa seiva se esvai. As visitas que queremos não nos procuram e as uvas que buscamos parecem azedas.

Se o Senhor nos visitar então nossos dias serão claros, nossos olhos se abrirão e sua presença será tão próxima que nosso coração disparará. Nossos caules serão verdes e nossa seiva mais vermelha do que nunca. Outras visitas não desejaremos senão sua presença amiga e verdadeira. Não buscaremos uvas porque nós mesmos seremos a videira.

Nenhum comentário: