domingo, 3 de agosto de 2008

Instinto (Instinct)


Uma teia complexa de relações humanas é mostrada neste filme: poder, carreira, lei do mais forte, arrogância. Ela é contrabalançada pela utopia de um homem só. Do silêncio. Do indivíduo e não do individualismo. Nos diversos âmbitos da vida, a humanidade é colocada de lado em razão do preconceito e do perigo aparente que o outro representa. Em Instinto, J. Turteltaub busca mostrar os gestos, os olhares, as mãos. Desta forma o filme precisa ser lido porque é uma obra de linguagem. Fantástico. Profundo. Revelador. Você se sente ali, com suas questões! Nota 10.

Nenhum comentário: