sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Quem é esta que sobe do deserto apoiada em seu amado?

Este sim é, talvez, o mais belo verso do Cântico dos Cânticos (8,5). Aquele que não cansa os olhos de ler e nem os ouvidos de ouvir. Aquele que mostra, candidamente, como é belo o amor entre os jovens, o enamorar-se dos casais e a dignidade das bodas, sejam elas de prata, ouro ou mais. Um verso bíblico no mais profundo sentido porque o Deus da Bíblia quis ser o esposo de uma jovem encontrada no deserto (Os 13,5). Quis fazer dela o seu povo: querido, amado, cuidado, beijado e acariciado. Hoje, nos revezes da vida, o amor tem sido confundido.

Parece não ser identificado com o que vem de Deus. Com os objetos tem sido objeto, com o descartável tem sido descartado. Tem chorado em ruas escuras da vida, clamando a beleza de bons corações, de dois corações... Onde estão os ombros? O apoio da amada? Onde estão as carícias? O afago do amado? Aquelas que curam os mais profundos males? É o Senhor Deus da Bíblia que plantou no coração humano este mais belo dom, do amar e do amor, do carinho e cuidado.

Enxuguemos as lágrimas dos olhos do amor! Só assim ele brilhará como o sol e nos apontará um dia lindo onde as mãos se encontram e juntas refletem a luz do Senhor! Como aquela jovem que subiu do deserto, apoiada em seu amado!

Nenhum comentário: